Dia Nacional de Protesto da Juventude


Muitos jovens trabalhadores estiveram em luta, no dia 16 de Setembro, participando em Tribunas Públicas e concertos, em acções de contacto nas empresas e nos Centros de emprego, em vários distritos do país.

De Braga a Évora, a Castelo Branco, em Leiria e no Porto, com a entrega de mais de 2000 postais contra a os despedimentos, em Lisboa, com a Concentração frente à ACT, em Setúbal, numa denúncia das difíceis condições de vida que os trabalhadores mais jovens enfrentam no nosso país, foram muitos os que, mobilizados em torno das acções marcadas, deram provas da disponibilidade para a Luta e para um protesto consequente que, vem reafirmando a necessidade de uma política diferente, de valorização de quem trabalha e de emprego com direitos.

Nas várias intervenções que se fizeram ouvir nas Tribunas Públicas, deram-se exemplos de que, é com os jovens trabalhadores organizados nos seus sindicatos de classe, denunciando os problemas concretos das empresas, intervindo e resistindo que podemos vencer e obter muitas das vitórias que temos vindo a anunciar.
Temos como exemplo a passagem a efectivos de trabalhadores com vínculos precários, a defesa do posto de trabalho, o pagamento de salários em atraso, a defesa dos direitos da contratação colectiva, entre outros.

Fruto da nossa resistência, da persistência da Interjovem/CGTP-IN, em conjunto com os sindicatos, veremos ainda, dia 23 de Setembro, a Petição em defesa do emprego estável, com mais de 20 mil assinaturas recolhidas, ser discutida na Assembleia da República.

O dia 16 de Setembro fica marcado como um grande dia de protesto nacional, em muitos distritos, um dia em que, os jovens trabalhadores, uma vez mais, mostraram que não aceitam estas políticas, que não estão conformados, nem aceitam submeter-se aos retrocessos sociais gravíssimos que  o grande patronato e as políticas de direitas nos estão a sujeitar.

A Interjovem/CGTP-IN valoriza este importante protesto, realizado nas difíceis condições de vida e de trabalho que os jovens enfrentam hoje, chamando a atenção de que o combate à Precariedade, aos baixos salários, à facilitação dos despedimentos e a exigência do trabalho com direitos continua, todos os dias, nos nossos locais de trabalho e também dia 1 de Outubro, na jornado de Luta convocada pela CGTP-IN em Lisboa e no Porto.

Apelamos para a uma grande participação dos jovens no dia 1 de outubro, envolvidos nas acções de mobilização e nas manifestações deste dia.

 

A Interjovem/CGTP-IN

 

Interjovem

Inter-reformados

CIMH